[depois de george orwell]

§

eu sonhei com ganchos e tubarões

não havia mais nada

.

no canto de todas as chuvas um porco

sonhava com dias melhores

“não posso mais segurar seus desejos,

a inefabilidade dos seus desejos me oprime

eu desejo tudo o que você deseja”

.

era isso, no prato

no interminável jantar em câmera

lenta, eu minto, sento, o garfo a faca a colher

não há metal que

.

eu sonhei com ganchos e tubarões

acordado enquanto

fodíamos no canto da sala o teto

mar aberto rasgado, chove

.

há por debaixo desse tapete um cemitério exposto ossos expostos fraturas expostas

tudo que comi e vomitei

.

no canto da sala debaixo

da janela através da qual

chove

um porco deseja noites piores

“a assepsia do mundo me mata lenta

sua mania de limpeza me mata lenta

sua delicadeza vencida me oprime”

estávamos em uma fazendo e não

havia mais nada

as cercas e as vacas devoradas e as moscas

eu sonhei com ganchos e tubarões

enquanto você me comia

.

§

§

§

§

§

§

Anúncios

~ por autor em 17/04/2015.

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

 
%d blogueiros gostam disto: